O aumento do consumo de bebida alcoólica no Brasil durante a pandemia por conta do
isolamento social rigoroso elevou para 10% o número de dependentes de álcool no país.
Destes, 20% relatam uso abusivo da substância.
Entre as bebidas mais consumidas, está a cachaça, nome dado à aguardente de
cana-de-açúcar, também conhecida como pinga ou cana.
O que a cachaça causa no organismo?
O álcool é um depressor do sistema nervoso central, ou seja, uma substância que diminui a
atividade do cérebro, que afeta o Sistema Nervoso Central e pode causar perda de
reflexo, problemas de atenção, perda de memória, sonolência e coma, que pode levar
à morte. Além disso, segundo pesquisadores alemães da University Medicine
Greifswald, o consumo excessivo de bebidas alcoólicas mata mais rápido do que o
fumo.
Conforme a pessoa ingere a bebida, o organismo reage de uma determinada forma,
seguindo alguns estágios. Veja:
Pancreatite
Uma das doenças mais comuns tem como causa principal o uso abusivo de álcool é a
pancreatite. Geralmente, após 5 ou 10 anos de uso contínuo surgem quadros agudos
de inflamação no pâncreas, que causam dores abdominais intensas até uma evolução
para pancreatite crônica, que pode resultar na morte do paciente.
Impotência ou infertilidade
A ingestão frequente de álcool pode causar lesões nos nervos do organismo e, em
alguns casos, atingem os órgãos reprodutores.
Nos homens, a principal consequência é a impotência sexual, ejaculação precoce e
queda no número de espermatozoides. Já as mulheres costumam apresentar
alterações nos períodos menstruais, que ficam irregulares, e podem ter infertilidade em
decorrência desse quadro.
Diante de qualquer sintoma, é preciso procurar o médico para verificar quais são os
possíveis tratamentos.
Câncer
O consumo excessivo de álcool é um fator de risco para o desenvolvimento de
diferentes tipos de câncer. De acordo com os estudos mais atuais, o problema é mais
comum nos seguintes órgãos:
● boca;
● faringe;
● esôfago;
● mamas;
● estômago;
● cólon;
● reto;
● laringe;
● fígado.
Nesse sentido, os exames preventivos se tornam essenciais. Afinal, o diagnóstico
precoce é um fator importante para aumentar as chances de sucesso do tratamento em
casos de câncer.
Hepatite alcoólica
Talvez um dos mais conhecidos problemas causados pelo alcoolismo, a hepatite
alcoólica é uma inflamação do fígado, que é o responsável por metabolizar o álcool.
Assim, o excesso de bebidas pode lesionar o órgão e resultar no acúmulo de gordura
em seu interior — quadro de hepatite alcoólica.
Entre os principais sintomas estão olhos e a pele amarelados, além de inchaço no
abdômen, náuseas e vômitos. O tratamento envolve o uso de medicamentos
associados ao abandono do álcool pelo paciente.
Além destes problemas, o alcoolismo está associado a problemas cardíacos e
vasculares, gastrite e, principalmente, a danos cerebrais que podem causar demência
e dificuldades de raciocínio, na fala e nos movimentos. Isso acontece em situações
mais graves, fazendo com que o paciente se torne dependente para atividades simples
como comer, tomar banho ou se vestir. Casos semelhantes exigem acompanhamento
psiquiátrico, que pode indicar medicamentos para retardar a evolução da demência.
Contudo, o quadro é irreversível.
Achou este post importante? Que tal compartilhar agora mesmo em suas redes sociais
e ajudar a conscientizar mais pessoas sobre os riscos do alcoolismo.

PROCURANDO TRATAMENTO?

Se você não suporta mais lidar com este problema sozinha, ZeroEthyl é a ajuda que você tem buscado.
ZeroEthyl é 100% natural, testado e aprovado pela ANVISA sob o número
6.04.572-1 – RCD/ANVISA 27/2010. Acesse: https://www.zeroethyl.com.br